A Placa dos Banheiros

Ricardo, ou Ricardx, como era conhecido, recebeu a missão de escrever o conteúdo das placas dos banheiros masculino e feminino do Centro Cultural de sua cidade.
Sentou à mesa e começou logo a elaborar uma mensagem poderosa e lacradora que ressignificasse o banheiro enquanto espaço de divisão opressora elaborada nas entranhas da sociedade tradicional patriarcal, pois se havia um local no mundo onde a igualdade reinava, era lá. Nenhum mijo brilha mais bonito, e de resto, é tudo a mesma merda.
Lá dentro, a humanidade podia se encontrar e ser uma, atravessar os espaços constituídos e não constituídos numa dialética edificante e verdadeiramente libertadora.
Pois começou assim: “Banheiro para todas as mulheres: para as brasileiras, estrangeiras, trans, homos, héteros, brancas, negras e pardas”. Do mesmo modo procedeu na placa do sanitário masculino.
: – E as asiáticas? – Perguntou alguém, quando ele mostrou o serviço.
– As índias? – Disse outra pessoa.
– Tem as de ocasião também. Hoje estou mulher, amanhã posso estar homem, sexta talvez esteja mulher de novo… vou me transformando…
– Você ainda está muito condicionado, muito preso pelos grilhões da sociedade… respire.
Ricardo voltou à mesa e resolveu simplificar: “Banheiro para todas as mulheres; biológicas ou não!” Sorriu para o trabalho e pensou: “Lacrei.”
: – Sei não…
– Oxe, mas toda mulher é biológica. Num tá todo mundo vivo, num é tudo organismo? Então, é tudo biológico.
– Eu quis dizer que é pra todas, independente se nasceram assim ou… – muitos olhos pesados recaíram sobre ele, e ele se calou, tornou-se gelado e engoliu em seco.
Voltou ao trabalho e decidiu tentar algo mais poético, mais simbólico. Apareceu com: “Banheiro para todos os espíritos femininos.”
: Tu já viu fantasma cagando?
– Vão pensar que o bagulho é assombrado.
– A loira do banheiro vai bater ponto lá.
– Não é esse o sentido que x Ricardx quis dar, mas espírito lembra religião, não sei…
– É banheiro, é algo mais animal, sabe?
– E tem também essa idéia de feminino…
O que se sabe é que, na manhã seguinte, encontraram uma placa pregada de qualquer jeito na parede entre os sanitários.
“Cague e mije aqui ou ali ao lado. ORA PORRA!”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s