Poema Esdrúxulo

Para mim, as rimas esdrúxulas
São como velhas pústulas;
Males que o bom médico,
Desconfiado e tanto cético,
Vê-se obrigado a tratar.

Também são como velhas películas:
Engraçadas; toscas; ridículas.
Prefiro bem mais as graves,
Descem bem, tornam distintas as frases.

Que os versos esdrúxulos,
Muito embora inócuos,
Tenham lá seus rútilos;
Mas fazem-se prolíficos,
e mesmo iníquos…
Como grande parte dos ósculos.

Após tal sucessão de rimas rápidas,
Palavras sem jeito e trêmulas,
Retiro-me, pondo aqui “Átila”
E, mais aqui, “anêmonas”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s