Sombra

Há uma sombra.
Sempre uma sombra.
Sussurrante sombra.
Que me assombra (sombra).

E essa sombra.
Sozinha sombra.
Por mais que eu queira.
Não me abandona.

Danada sombra…
Sibilante sombra…
Incessante sombra
Que me assombra sem parar.

Em salas e esquinas.
Detrás, ao lado, acima.
A sombra me agarra sem largar.
Ô sombra!

Vê sobre meu ombro.
Mexe a minha cabeça.
Maldição, que assombro!
E antes que eu me esqueça:

A sombra debochada
Traz companhias descarnadas.

Há uma sombra.
Mais uma sombra.
E outra, e outra, e outra sombra.
Sucessão de sombras.
Festa de sombras.
Baile de sombras.
E me assombram.

Mas que desgraça!

Eu me desespero,
Não sei se quero
O mundo habitar
Com essa sombra…
Com essa sombra…
Com essa sombra a me assombrar.

Adeus, sombra!
Suma, suma sombra!
Pare de me influenciar!

Desapareça sombra! (sombra)
Cínica sombra…
Desça, desça, pare de assombrar!

Há uma sombra…
Estranha sombra…
Que vacilante, continua a espreitar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s