Seis Sextilhas

2

Ando pelo deserto.
Desfaço-me sobre as areias escaldantes,
Sou levado pelo vento morno
E caio nos grãos calcinados.
Afundo. Sufoco. Peço água a ninguém.
Desapareço enterrado.

3

Lembro-me dos gritos dados
Às moradas vazias.
Eu era garoto e sorria.
O eco respondia,
E minha infindável fantasia
Logo inventava fantasmagorias.

4

As paredes racham.
Cairão os tetos sobre os desesperados,
Que tão fascinados
Com o poder da marreta e o brilho do fogo,
Queimam e quebram
A própria casa.

6

Nadei no lago do passado,
Naquelas nostálgicas águas borradas
Nas quais os cheiros são sentidos pelo coração
E as visões aparecem na alma.
Sorrio entristecido,
Sabendo menos ter lembrado que esquecido.

8

Fui-me embora de mim.
Deixei aberta a porta
A quem quiser entrar.
Estou já longe.
Não sou eu que falo.
Não sou eu que ando.

16

Não sei quem sou,
Ou quem quero ser.
Não sei aonde vou,
Nem sei saber.
Dissolvo-me novamente nas mesmas águas,
Já tão sujas, já tão rasas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s