Brevidades #13

Passou alguém aqui perto dizendo que alguma coisa era fascinante; tudo bem, tudo normal, só que eu, toda vez que ouço ou leio alguém se referindo a algo como fascinante, lembro logo de uma moça que fotografei.

Deslumbrada e de olhos arregalados, ela não cansava de repetir, enquanto analisava uma foto do seu bumbum desnudo ao sol, que aquilo era fascinante. Mas ela falava com tanta intensidade, lançando-me olhares incrédulos e ardentes como se eu tivesse sido o idealizador daquela bunda, como se as nádegas fascinantes tivessem se materializado sobre a relva instantaneamente por vontade minha, que fiquei sem graça.

Não satisfeita, ela ainda me perguntou:

— Mas não é fascinante?

Eu, que também estava querendo prosseguir o ensaio antes que o sol subisse demais, respondi:

— É a sua essência.

Ela sorriu realizada, como se tivesse encontrado o primeiro humano a compreendê-la, e continuamos o ensaio.

*

Se algum dia eu chamar um senador ou algo que o valha de Vossa Excelência, podem ter certeza que estarei me referindo à excelência de sua vigarice; algo como “Vossa Máxima Vigarice”, “Senhor Supremo da Picaretagem”, “Grande Mentira Encarnada” etc.

*

O Dr. Armando, personagem de “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto, incomodado com as conjecturas feitas por sua esposa e pelo major Quaresma a respeito do comportamento social de abelhas e formigas, solta essa:

“– Que temos nós com as abelhas? Então nós, os homens, o pináculo da escala zoológica, iremos buscar normas de vida entre os insetos?”

Antes mesmo de ler a resposta de Quaresma pensei o seguinte: “Não, iremos buscar essas normas entre os crustáceos, obviamente.”

*

O que mais me incomoda ao ler Lima Barreto não são as palavras estranhas que ele semeia por várias de suas páginas, às vezes até às custas da estética d’algum trecho, ou seu modo de escrever razoavelmente tortuoso, ou o grasno de pato que sai da boca de diversos personagens; o que me incomoda é o ressentimento impregnado em seus textos. O Brasil é um país difícil, cheio de pequenos infernos e injustiças absurdas – quem lê “Triste Fim de Policarpo Quaresma” pode até ficar com a impressão de que esta nação é amaldiçoada – e Lima Barreto se permitiu ser completamente consumido e corroído pelo Brasil.

A impressão que tenho é que ele foi esmagado desde dentro, desde o centro da alma.

*

Eu fico muito doido vendo o pessoal falando em gênero, gênero, gênero. É sexo, sexo, SEXO! Você nasce tigrão ou tchutchuca e acabou, porra!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s