Brevidades #27

Impossível não ter carinho pelo Carpeaux:

“Entre todos os poetas ingleses, Chaucer é o mais natural, o mais ingênuo.”

No parágrafo seguinte:

“Mas Chaucer — é preciso revogar o adjetivo — não é ingênuo.”¹

1 “A Idade Média por Carpeaux”, edição da Leya.

*

Toda meia volta vejo alguém acusando os conservadores de paranóicos e teóricos da conspiração. Eu nunca entendi muito bem o negócio de teórico da conspiração, especialmente porque conspirações mais ou menos secretas existem e é preciso ser muito idiota — ou fazer parte delas — para negá-las, mas uma dose de paranóia talvez seja saudável.

Oras, estava eu folheando um livro do Yázigi de 2003 ou 2004, o CEP 1, quando vi Fidel Castro apresentado num exercício como “Presidente” e Mao Tsé-Tung, aquele genocida desgraçado, suavizado e até enaltecido como “National Leader”.

Por quê? Qual o objetivo de distorcer os fatos num livro didático de curso particular de Inglês?

Temos mais é que ficar de olhos abertos o tempo inteiro mesmo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s